Sexta-Feira, 19 de Setembro de 2014
 
   
Texto
     +++     DNPJ reúne para refletir sobre a Família      +++     O grão de trigo morreu, é tempo do fruto      +++     Papa alerta para bispos «a prazo»      +++     Sorrio, Logo Aprendo?      +++     Prémio:Jornalista Família Cristã nomeada      +++     ASAE adverte: não pôr mel nas chupetas      +++     Encontro Mundial das Famílias já mexe      +++     Um caminho para o sentido da vida      +++     A APFN e a proposta de reforma do IRS      +++     Morreu o Superior-Geral dos Paulistas      +++    

D. Jorge Ortiga fala nos desafios da modernidade

A necessidade de se mudar de linguagem

Quarta-Feira, 27 Junho 2012
O arcebispo de Braga revelou hoje à Agência Ecclesia a intenção de que a ação da Igreja Católica na região seja «capaz de responder aos desafios da modernidade».

 D. Jorge Ortiga falava após a conferência que o professor universitário e comentador Marcelo Rebelo de Sousa proferiu esta manhã em Guimarães, sobre o tema A Cultura e os Sacerdotes, perante mais de duas centenas de padres.

Para o prelado, um dos destaques do encontro foi a «necessidade de se mudar de linguagem».

O arcebispo de Braga pretende que a linguagem dos padres seja «menos hermética e mais compreensível» porque «nem sempre as pessoas entendem a mensagem que se quer comunicar».

D. Jorge Ortiga destaca que a iniciativa realizada em Guimarães teve uma «dupla finalidade»: «Tomar consciência de uma nova cultura que nos envolve em termos de modernidade» e «consciencializar da mudança que tem diversas características».

Nesta mudança é «importante reconhecer quase uma revolução cultural», frisou.

Como a mensagem «não é apenas verbal», o arcebispo de Braga sublinha que esta passa também pelo «diálogo nas diversas vertentes culturais, tanto da ordem filosófica como literária».

Para o prelado, a cultura tem de se reencontrar com «a realidade da família, com a escola e com a juventude e suas interpelações».

A dimensão artística – «campo musical, arquitetónico, escultura, literatura» – também deve estar «presente na Igreja», prosseguiu.

Num Portugal «amargurado», o contacto com as pessoas que vivem sós e na solidão deve fazer parte da «linha de ação» eclesial, «a cultura da linha da convivência».

A Igreja deve mostrar que «é possível fazer convergir as diversas tendências» e os «diversos modos de compreender a vida».

D. Jorge Ortiga, espera que, ao longo de 2012, «realidade da cultura, a partir de Guimarães, e da juventude, a partir de Braga», ambas capitais europeias, «interpelem» a comunidade católica.

Publicado em Actualidade

Capa





Edição de Setembro/2014

bt_2

Calendário

Setembro 2014 Outubro 2014
Se Te Qu Qu Se Do
1 2 3 4 5 6 7
8 9 10 11 12 13 14
15 16 17 18 19 20 21
22 23 24 25 26 27 28
29 30

Newsletter

Subscreva a nossa newsletter

Administração