Quarta-Feira, 30 de Julho de 2014
 
   
Texto

Mensagem de D. António Vitalino

«Um povo deprimido e envergonhado»

Segunda-Feira, 18 Abril 2011

O bispo de Beja afirmou hoje que os cristãos «podem e devem» contribuir para animar «um povo deprimido e envergonhado pelas falsas expectativas que alimentou e os maus governantes que escolheu».

Na mensagem semanal transmitida pela Rádio Pax, D. António Vitalino manifesta o desejo de que a «alegria» da Páscoa contagie a população no «discernimento» da escolha do novo Governo, aquando da eleição da Assembleia da República, marcada para 5 de Junho.

«Espero também que os portugueses sábios, competentes e com amor a Portugal e ao seu povo se apresentem como candidatos nas próximas eleições, para que rapidamente se comece a inverter a situação do decréscimo económico e do desemprego galopante», acrescentou.

Referindo-se à «dívida económica», o prelado salientou que o seu pagamento «vai exigir muitos sacrifícios» e expressou a esperança de que «todos os portugueses» contribuam para essa liquidação, «repartindo com justiça o mal pelas aldeias».

António Vitalino distinguiu o significado da palavra "resgate", usada frequentemente para designar a correcção do débito de Portugal, mas que também tem raízes na Bíblia, recordadas pelos cristãos especialmente na Quaresma e na Páscoa.

«O resgate mais maravilhoso da história foi operado pelo dom da vida de Jesus Cristo na cruz, oferecendo-se por todos nós, libertando-nos do pecado e operando a reconciliação universal da humanidade, com plena gratuidade», assinalou.

A ressurreição é uma «certeza da fé» que «opera o grande resgate de que todos precisamos, para não sucumbirmos pela depressão e pessimismo», precisou o bispo de Beja, que acrescentou: «As raízes cristãs do nosso povo serão um remédio salutar na presente situação.»

Dirigindo-se aos cristãos que durante a Páscoa partem para "mini-férias", António Vitalino pediu-lhes para não se esquecerem de «participar nas celebrações da fé, as mais importantes de todo o ano litúrgico».


A Quaresma, que este ano começou a 9 de Março (quarta-feira de Cinzas), é um período de 40 dias, exceptuando os domingos, marcado por apelos ao jejum, partilha e penitência, que servem de preparação para a Páscoa, palavra que significa «passagem».

Agência Ecclesia
Publicado em Actualidade

Capa





Edição de Jul-Ago/2014

bt_2

Calendário

Julho 2014 Agosto 2014
Se Te Qu Qu Se Do
1 2 3 4 5 6
7 8 9 10 11 12 13
14 15 16 17 18 19 20
21 22 23 24 25 26 27
28 29 30 31

Newsletter

Subscreva a nossa newsletter

Administração