Segunda-Feira, 20 de Outubro de 2014
 
   
Texto
     +++     Pais de crianças disléxicas preocupados      +++     «A melhor maneira de anunciar Jesus»      +++     O amor humano está no coração da família      +++     Paulo VI, o Papa «ecuménico»      +++     «A missão começa em casa»      +++     Mais pobres que em 1974      +++     Desafio para alunos de todos os ciclos      +++     Redução de 200 mil pobres em seis anos?      +++     A servir quem não tem abrigo há 25 anos      +++     Vacina contra a meningite B é segura      +++    

Autismo ligado a doenças da mãe

Quarta-Feira, 11 Abril 2012

As mães obesas ou que sofrem de diabetes durante a gravidez têm mais hipóteses de dar à luz crianças com autismo ou atrasos no desenvolvimento, segundo um estudo publicado esta semana nos Estados Unidos. Os resultados deste trabalho, publicado na revista Pediatrics, levantam «sérias preocupações em termos de saúde pública», disseram os cientistas responsáveis. No mês passado, as autoridades de saúde dos EUA revelaram que o número de casos de autismo diagnosticados aumentou 23 por cento entre 2006 e 2008, afetando uma média de uma em 88 crianças.

Os autores do estudo examinaram mais de mil duplas mãe-filho de diversos níveis socioeconómicos. Aproximadamente metade das crianças era autista, 172 sofriam de transtornos de desenvolvimento e 315 eram considerados normais. Embora o estudo não tenha indicado se o peso ou a diabetes da mãe durante a gravidez eram a causa dos problemas psicológicos das crianças, estabeleceu uma clara correlação entre estes transtornos e a saúde materna.

Por exemplo, as mães obesas tinham 67 por cento mais probabilidades de ter um filho com autismo e mais do dobro de possibilidades de ter um filho com algum tipo de transtorno que as mães de peso normal sem diabetes. Mais de 20 por cento das mães de crianças com autismo e outros problemas de desenvolvimento eram obesas. Apenas 14 por cento das mães de crianças com desenvolvimento normal eram obesas durante a gravidez, indicou a pesquisa.

O vínculo entre a saúde da mãe e «os problemas de desenvolvimento neurológico das crianças é preocupante e pode ter implicações em termos de saúde pública», escreveu Paula Krakowiak, da Universidade da Califórnia, no relatório que acompanha o estudo. «Mais de um terço das mulheres americanas em idade de procriar são obesas e quase um décimo têm diabetes gestacional ou diabetes tipo 2 durante a gravidez», acrescentou.

Os cientistas acreditam que os problemas do feto podem ser resultado da exposição prolongada aos altos níveis de insulina nas mães diabéticas, o que requer uma maior utilização de oxigénio e pode reduzir o fornecimento de oxigénio necessário ao feto. A diabetes também pode diminuir os níveis necessários de ferro para o feto, o que resulta num fraco desenvolvimento cerebral.

Publicado em Actualidade

Capa





Edição de Outubro/2014

bt_2

Calendário

Outubro 2014 Novembro 2014
Se Te Qu Qu Se Do
1 2 3 4 5
6 7 8 9 10 11 12
13 14 15 16 17 18 19
20 21 22 23 24 25 26
27 28 29 30 31

Newsletter

Subscreva a nossa newsletter

Administração