Segunda-Feira, 22 de Setembro de 2014
 
   
Texto
     +++     Aumentam urgências hospitalares      +++     DNPJ reúne para refletir sobre a Família      +++     O grão de trigo morreu, é tempo do fruto      +++     Papa alerta para bispos «a prazo»      +++     Sorrio, Logo Aprendo?      +++     Prémio:Jornalista Família Cristã nomeada      +++     ASAE adverte: não pôr mel nas chupetas      +++     Encontro Mundial das Famílias já mexe      +++     Um caminho para o sentido da vida      +++     A APFN e a proposta de reforma do IRS      +++    

Gripe A volta no Inverno

Quinta-Feira, 28 Outubro 2010
Um em cada cinco portugueses está protegido contra a gripe A mas a vacinação deverá prosseguir visto que a estirpe H1N1 irá ser predominante na próxima época sazonal, concluiu um estudo da Direcção-Geral da Saúde (DGS) a que a Lusa teve hoje acesso.«É possível admitir que 20% da população estará protegida, quer pela doença quer devido a infeções inaparentes quer, ainda, pela vacinação», refere o Relatório da Pandemia da Gripe em Portugal elaborado pela DGS e que será divulgado durante II Congresso Nacional de Saúde Pública a decorrer hoje e sexta-feira no Porto.

O mesmo relatório refere que «a vacinação contra a gripe pandémica deverá prosseguir, visto que, segundo a OMS (Organização Mundial de Saúde), admite-se que a estirpe A (H1N1) 2009 irá ser predominante na próxima época sazonal». Segundo o documento, e durante a maior campanha de vacinação no país que começou a 26 de outubro de 2009, foram distribuídas até junho de 2010 dois milhões de doses da vacina, «estimando-se a administração de cerca de 700 mil doses, correspondendo a uma taxa de cobertura, em relação à população alvo, de cerca de 20%».

Ao longo de 133 páginas, o documento vai analisando as várias etapas da infecção em Portugal (contenção e mitigação da doença), desde a identificação de um novo vírus da gripe a 17 de abril em dois doentes da Califórnia (EUA) até à estratégia de vacinação e de comunicação adotada no País. Em Portugal, o primeiro caso foi diagnosticado a 29 de abril (importado a partir do México) e o primeiro caso secundário foi identificado a 4 de julho. A 14 de julho verificavam-se 100 casos acumulados, sendo mil a 14 de agosto e dois mil a 21 do mesmo mês.

Publicado em Actualidade

Capa





Edição de Setembro/2014

bt_2

Calendário

Setembro 2014 Outubro 2014
Se Te Qu Qu Se Do
1 2 3 4 5 6 7
8 9 10 11 12 13 14
15 16 17 18 19 20 21
22 23 24 25 26 27 28
29 30

Newsletter

Subscreva a nossa newsletter

Administração